Biotecnologia Cinza: conhecimento em prol da natureza

A Biotecnologia é uma ciência que se propõe a usar os conhecimentos vindos de processos biológicos com o objetivo principal de resolver questões da humanidade e, com essas informações, criar produtos viáveis e úteis para a mesma. Considerando o ponto levantado, é importante destacar os problemas relacionados ao meio ambiente e a forma com a qual a Biotecnologia se relaciona com estes.

Nesse contexto, a Biotecnologia Cinza contribui para a preservação e cuidados com o meio ambiente, assim como sua variedade biológica, sendo a biodiversidade genética a mais explorada e desenvolvida pela Biotecnologia Cinza. Com isso, se torna possível a construção de bancos de materiais genéticos e, utilizando essas informações, o manejo e conservação da diversidade biológica de ecossistemas diversos, assim como a determinação da caracterização genética e biomolecular dos seres que habitam nos mesmos.

Uma estratégia relevante desenvolvida por essa área é a chamada biorremediação, que melhor se define como: “a utilização de seres biológicos com a finalidade de reduzir ou remover algum elemento tóxico do ambiente”. Nos locais contaminados com, por exemplo, metais pesados, agrotóxicos, hidrocarbonetos, podem ser encontrados microrganismos como fungos e bactérias, eficientes por possuírem alto potencial de ação e recuperação destes ambientes. Além disso, a Biotecnologia Cinza se utiliza de processos vindos da Biologia para o tratamento de águas residuais e reaproveitamento de lixo, além de saneamento dos solos.

Considerando a importância do equilíbrio no meio ambiente, a Biotecnologia Ambiental se desenvolveu como uma possibilidade de atuação muito precisa e eficaz a fim de sanar questões relacionadas a esse tópico, principalmente no que tange à degradação. Sendo assim, essa ferramenta pode atuar de três maneiras: prevenindo, monitorando e restaurando. O primeiro ponto se refere à utilização de Organismos Geneticamente Modificados associados a conhecimentos específicos dessa área, como manejo de risco e gerenciamento de impacto, com a finalidade principal de prevenir possíveis problemas ambientais. Já em relação ao segundo ponto, evidencia-se a viabilidade da utilização de biossensores, bioindicadores e biofilmes, que são abordagens aptas na vigilância e controle do meio ambiente. E, por último, o terceiro se remete à utilização de biorremediação e biodegradação, procedimentos mais qualificados para esse objetivo.

Ademais, também deve-se ressaltar que a Biotecnologia Ambiental cuida, inclusive, de questões envolvendo legislação, normas, economia e sociedade, além das técnico e científico já abordadas. Sendo assim, considera-se, então, como uma ciência multidisciplinar que engloba biologia, química, engenharia e direito. Diversas empresas brasileiras trabalham em prol da manutenção do meio ambiente, visando sempre reduzir os impactos causados pelo ser humano (ou até mesmo impactos naturais que causem danos) por meio de ferramentas biotecnológicas, desde o uso de microrganismos até a manipulação de tecidos vegetais. Listamos abaixo empresas  biotecnológicas de atuação nacional que estão envolvidas na solução de problemas ambientais através da sustentabilidade e biotecnologia:

Impacto ProblemáticaEmpresas
Petróleo
Sua composição afeta de maneira agressiva a natureza, principalmente o ecossistema marinho. Um grande exemplo é o derramamento em 2019 que assolou várias costas ao redor do globo, inclusive no Brasil, perturbando consideravelmente a vida marinha.A Biosolvit é uma empresa responsável pelo estudo e produção de materiais feitos à base de fibras vegetais, que posteriormente são utilizados na remediação de acidentes ambientais causados por petróleo e derivados.
Minérios
De forma geral, a mineração possui um histórico relevante de impacto ambiental, causando poluição tanto do ar como do solo. Tais processos podem se tornar mais agravantes, levando a alterações ambientais significativas. A Itatijuca Biotech é uma startup biotecnológica que possui um processo de recuperação de minérios sem gerar resíduos à natureza através do emprego de bactérias na biolixiviação.
Reagentes QuímicosRegularmente, muitas indústrias, principalmente o setor agroindustrial, despejam efluentes altamente nitrogenados nos rios, o que afeta em demasia a vida aquática. A eutrofização causado por essa contaminação, causa uma disbiose no ambiente e leva a morte de espéciesA Embrapa, empresa pública de pesquisa, financia o projeto BiogásFert, que testou e comprovou a utilização de bactérias com atividade ANAMMOX. Esse processo retira naturalmente o excesso de componentes nitrogenados do meio aquático com baixo custo.
Aterros Sanitários Apesar de serem um possível destino final do lixo gerado, os aterros sanitários são responsáveis por emissões que agravam o efeito estufa, possível contaminação de lençóis freáticos através do chorume e geração de resíduos sólidos (lodo).Como alternativa de tratamento do chorume e remediação de áreas contaminadas, a SuperBac conta com uma gama de microrganismos que consomem compostos específicos do lixo.

Autores: Isabella Bomfiglio e Laura Piloneto Lima Hoefel (polo UFRGS), Joyce Marinho Melo e Thayssa de Souza Remedios (polo UFAM)
Edição: Bruno Pereira e Lina Gress | Secretaria de Comunicação da LiNAbiotec

Você pode consultar as referências aqui.