Biotech Day

No dia 30 de Junho é comemorado o dia do profissional em Biotecnologia e foi escolhido por ser a data de nascimento de Paul Berg, considerado o pai da Biotecnologia Moderna. No ano de 2016, os alunos do curso de Biotecnologia da Universidade Federal de Uberlândia decidiram comemorar a data divulgando o curso ao público. Eles foram para uma das praças mais movimentadas da cidade, a Tubal Vilela, durante a tarde, e no início da noite no Parque do Sabiá. Lá eles, educadamente, abordaram pessoas que estavam sentando, conversando ou esperando alguém ou transporte, se dividiram em grupos e procuravam por pessoas que aparentemente se interessariam em conversar e conhecer um pouco sobre o que é a Biotecnologia. Basicamente, a conversa girava entorno de quatro simples perguntas: 1- Você sabe o que é Biotecnologia? 2- Você já comeu DNA hoje? 3- Qual a sua opinião sobre transgênicos e 4- Você sabe que dia é hoje? Seguida de entrega de alguns panfletos.

A porcentagem de pessoas que responderam corretamente a primeira pergunta foi baixa, o que indica que devemos continuar promovendo eventos como este, para que não só os empresários, mas sim estudantes e pessoas interessados em atualidades, nos conheçam e saibam o que nós somos capazes de fazer.

Ao ser indagadas segunda pergunta, as pessoas geralmente se assustavam. Há uma falsa ideia de que somente humanos possuem material genético, algumas pessoas lembram da carne, mas a maioria delas se esquecem das frutas e vegetais.

A terceira pergunta é sempre um caos! Ninguém conhece, mas a mídia já fez questão de colocar na mente da população que: “Comer alimentos transgênicos faz mal e pode dar câncer. ” É claro que os alunos explicaram da forma mais simples possível, o por quê um alimento transgênico é gerado, os benefícios deste e acabaram com o mito de que o DNA incorporado ao transgênico pode ser incorporado ao seu quando você o comer.

Quanto chegava-se a última pergunta diziam que: “Hoje, 30 de Junho, é comemorado o dia do profissional em Biotecnologista, e é este o motivo de nós estarmos aqui, compartilhando este momento com vocês. “

Entre cada pergunta do roteiro, que os alunos fizeram, mais perguntas, por parte dos entrevistados surgiam, isso mostra interesse em conhecimento biotecnológico. A conversa terminava com um agradecimento dos alunos pelo tempo e atenção dos participantes.

“Eu gostei bastante. Foi ir direto às pessoas, que eram de todas as classes sociais, de todas as idades, e conversar sobre Biotecnologia. Dava para ver a opinião de todas que paravam pra conversar, umas não faziam ideia do que era, outras apoiavam e outras tinham até um certo receio com transgênicos. Foi muito bom conversar com elas, com algumas foi possível tranquilizar a respeito desse receio, foi possível informar e dar a elas uma informação nova, e ainda foi possível se surpreender com algumas pessoas, que não só sabiam o que era, mas que discutimos o assunto por vários minutos” Relato do discente Ian Paniago.

Acredita-se que a maioria das pessoas entrevistadas ficaram conhecendo a biotecnologia, compreenderam que todos os organismos vivos possuem material genético e entenderam que a ingestão de transgênicos não faz mal à saúde.

“Eu gostei muito de ter participado! Contudo, grande parte da população não tem interesse. Acho que a praça não foi um lugar bom para ter feito o evento, acredito que se tivéssemos ido em escola, cursinho, faculdade particular, teríamos um público mais interessado, abrangido um número maior de pessoas e assim seria mais proveitoso” Diz a estudante Camylla Medeiros

Foi uma grande e satisfatória experiência para os alunos de Biotecnologia, que conseguiram visualizar o curso de uma forma mais didática. Poder passa-la a diante é como doar algo bom.

“Foi muito boa a experiência. Entrar em contato com as pessoas e poder divulgar o curso que eu amo, mas quase ninguém conhece. Achei muito interessante poder explicar coisas tão básicas pra gente para outras pessoas e até mesmo esclarecer alguns pontos, principalmente na área de transgenia.” Resposta da participante Layssa Giaretta

#biotecporamor <3

Organização: Heitor Cappato e Mariana Vianna Participantes: Bruna Mundim, Camylla Medeiros, Daniel Martins, Geyssica Ferreira Ian Paniago, Isabel de Sá, Isadora Uehara, Larissa Caroline, Layssa Giaretta, Letícia Leandro, Letícia Lonardoni, Luana Feliz, Natália Tavernelli, Sávio Borges, Serena Malta.

Biotech Day June 30th


I Semana de Integração da Biotecnologia – UnB

I Semana de Integração da Biotecnologia – UnB

Nos dias compreendidos entre 29 de abril a primeiro de maio, 2015, foi realizado o primeiro evento de cunho acadêmico organizado por graduandos de Biotecnologia da Universidade de Brasília em parceria com professores do Instituto de Ciências Biológicas. A SeIBit (Semana de Integração da Biotecnologia) foi criada no intuito de divulgar o curso para os mais diversos alunos e docentes da universidade, bem como ampliar o conhecimento dos estudantes acerca das variadas vertentes da Biotecnologia.

A SeIBit contou com minicursos como o de Cultura de Tecidos de Plantas, em que os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer técnicas de micropropagação de tecidos vegetais e suas aplicações. Os minicursos de Nanobiotecnologia e de Cerveja se mostraram um sucesso com aulas práticas e uma etapa de degustação dos fermentados.

Preparo do meio de cultura para micropropagação de tecidos vegetais no Laboratório de Cultura de Tecidos.

Preparo do meio de cultura para micropropagação de tecidos vegetais no Laboratório de Cultura de Tecidos.

Também fizeram parte do evento palestras dos mais diversos temas, dentre eles Fármacos na Neurologia, Biotecnologia na Petrobrás, Metagenômica, e Melhoramento Nutricional.

 

Abertura das palestras com a Professora Márcia Mortari, pesquisadora na área de desenvolvimentos de fármacos contra doenças neurodegenerativas e neurológicas, em especial Doenças de Parkinson, Alzheimer, epilepsia e distúrbios de ansiedade.

Contamos também com convidados ilustres como o professor Spartaco Astolfi, pioneiro da engenharia genética no Brasil, bem como o professor Luiz Antônio Barreto de Castro, forte atuante no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, na CTNBio e na Política Nacional de Biotecnologia do Brasil. Ambos ratificaram a grande importância da área no Brasil bem como a necessidade da integração de todos os seus profissionais sobretudo no que tange à luta por legislações mais favoráveis à carreira científica.

Encerramento da I Semana de Integração da Biotecnologia com o Professor Luiz Antônio Barreto de Castro. Ao final da palestra o professor promoveu uma discussão com os ouvintes acerca do futuro da Biotecnologia.

Encerramento da I Semana de Integração da Biotecnologia com o Professor Luiz Antônio Barreto de Castro. Ao final da palestra o professor promoveu uma discussão com os ouvintes acerca do futuro da Biotecnologia.

A organização da SeIBit faz, por fim, um agradecimento especial ao professor Fernando Araripe, por toda sua contribuição não apenas como orientador da nossa Semana, mas também por toda sua ativa participação no curso de Biotecnologia da Universidade de Brasília.

Professor Fernando Araripe, orientador da SeIBit e um dos idealizadores do curso de Biotecnologia da Universidade de Brasília.